Carta Verde – O seguro obrigatório do Mercosul

Para quem pretende viajar de carro pelo Mercosul uma das primeiras dúvidas que surge é sobre documentação e a exigência inicial é a Carta Verde, o seguro obrigatório do Mercosul, que cobre danos corporais e materiais causados a terceiros.

A Carta Verde é um seguro indispensável para quem pretende viajar através do Uruguay, Paraguay e/ou Argentina, possuindo cobertura civil, porém não substituindo o seguro do carro em si.
Basicamente sua função é sanar prejuízos causados aos locais por estrangeiros, algo parecido ao nosso DPVAT, porém ao veículo brasileiro nada é coberto, sendo necessário a nós chegarmos a um acordo em caso de acidente pra que possamos ter nosso eventual prejuízo ressarcido.

As indenizações são feitas em dólares americanos e toda a cobertura do sinistro acontece no próprio país do acidente, bastando ligar para o escritório local da seguradora escolhida. Os valores básicos de indenização são:

US$ 40 mil por pessoa – Danos pessoas causados a terceiros (gastos hospitalares, morte, etc)
US$ 20 mil – Danos materiais causados a terceiros
Até 50% do valor – Honorários advocatícios e custas judiciais

Qual o valor da Carta Verde?

O valor depende conforme o período que você pretende rodar por este/s países:

3 dias – R$ 80,00
5 dias – R$ 120,00
7 dias – R$ 150,00
10 dias – R$ 180,00
15 dias – R$ 230,00
30 dias – R$ 270,00

Onde contratar a Carta Verde?

Pode-se contratar a Carta Verde antes da viagem, através de corretores de seguro, seguradoras como a Mapfre, HDI Seguros, Liberty Seguros, Porto Seguro, SulAmérica Seguros..
Também há a opção de buscar em agências bancárias, como HSBC, Bradesco e em algumas agências do Banco do Brasil.

Eu particularmente sempre faço em uma 3ª opção, diretamente na fronteira, no dia que estou atravessando. Sempre há escritórios locais que emitem a Carta Verde pré-paga, lembrando que indiferente ao método de contratação, sua vigência se dá após o pagamento e não pode-se prorrogar a validade, assim procure contratar o mais próximo de sua viagem e compre uma que não deixe margens para expirar enquanto você ainda estiver no exterior.

Para contratar basta o documento do carro e suas informações pessoais.
Lembrando que caso o veiculo esteja financiado ao banco, em nome de alguém que não seguirá junto na viagem ou de Pessoa Jurídica, será necessário uma autorização do proprietário legal, registrada em cartório, permitindo a saída do veículo do Brasil. Alguns países exigem que este documento seja validado pelo consulado deles no Brasil, assim, consulte as exigências do país para o qual pretende ir.

Lembrando que a cobertura do seguro Carta Verde pode ser revogada no seguintes casos:

– Dirigir alcoolizado ou sob influência de entorpecentes
– Veículo conduzido por alguém não habilitado
– Veículo envolvido em apostas ou competições de velocidade, os típicos “rachas”.

A Carta Verde, assim como a autorização da financeira ou de terceiro quando o caso, será exigida (e muito bem conferida) na aduana estrangeira no momento de sua entrada.
Lembre-se também de estar com sua CNH e algum documento válido de identificação, como RG em bom estado ou passaporte, já que fora do país a CNH é apenas sua autorização de condução e não serve como identidade.

Curta e Compartilhe!
0